Esporte


Pautas envolvendo temas sobre esporte

Tecnologia no esporte: impactando vidas, mudando paradigmas

Já não é novidade que a tecnologia chegou para ocupar espaço amplo em nosso cotidiano. Desde a forma pela qual nos relacionamos com as pessoas até a maneira que temos acesso aos acontecimentos do mundo, não são poucos os jeitos que a tecnologia se insere na nossa realidade. E o esporte não escapa disso. A Jornalismo Júnior em parceria com a Betway mostra para você alguns casos da atualidade.

Como colocar o coração na ponta da chuteira e sobreviver a uma pandemia?

Os torneios estaduais de futebol estão parados em 26 dos 27 estados brasileiros, tendo sido o último encerrado no Amazonas. No Sul, tanto a Federação Catarinense quanto a Paranaense queriam a volta das partidas em maio, o que foi vetado pelas Secretarias de Saúde de ambos os estados. A situação geral ainda é de espera e cooperação, com a maioria dos times e campeonatos aguardando diretrizes dos órgãos de saúde para o retorno na maioria das demais regiões.

Choque entre mundos: quando atletas invadem jogos eletrônicos

Não é novidade para ninguém que a indústria de jogos já ultrapassou setores como os de música e cinema em termos de faturamento. Com constantes evoluções, os consoles ficaram cada vez mais modernos e os jogos ainda mais realistas. Mas seu início, em termos lucrativos, foi justamente com um jogo esportivo: Pong (1972), produzido pela Atari Inc. A partir desse lançamento, o mundo do entretenimento não foi mais o mesmo. As empresas buscaram alternativas para se manterem relevantes e o esporte foi um campo frutífero para as diversas tentativas de fazer um bom jogo, algumas bem-sucedidas, outras nem tanto.

Cem anos do Sulamericano de 1919: toda paixão tem um início

Mais um dia bonito se iniciava na famosa Cidade Maravilhosa. O clima de decisão era emanado através de toda população, uma sensação que corria nas veias da nação brasileira, mas especialmente na ponta das chuteiras dos jogadores que entrariam em campo naquele dia. Ávidos pelo sentimento de superação e conquista e no intuito de deixarem seus nomes marcados na história do futebol brasileiro, a final Sulamericana movimentava o Rio de Janeiro e os atletas já sonhavam em ver seus feitos perpetuados pelo título que tanto buscavam. Você, caro leitor, pode pensar que estamos falando sobre o título da Copa América de 2019, conquistado pelo Brasil, após um jogo tranquilo contra o Peru. No entanto, o título citado era o Torneio Sulamericano de 1919, uma versão mais antiga e simples do que se tornaria a Copa América algumas décadas depois.

Você pensa que o Flamengo é time?

O Clube de Regatas do Flamengo não precisa de apresentações: equipe com a maior torcida do Brasil (40,4 milhões de torcedores), clube brasileiro que mais recebe valores de direitos de transmissão e, desde 2014, detém a marca de maior valor no mercado futebolístico brasileiro, algo em torno de 1,43 bilhão (valor absoluto). Mesmo sendo sempre uma potência, o Flamengo não conquistava títulos expressivos desde o Brasileirão de 2009, apesar do título da Copa do Brasil de 2013, e a paciência foi um grande aliado para colher os frutos da vitória. A revolução no Flamengo se iniciava em 2013, com a gestão de Eduardo Bandeira de Mello, que presidiu o time até 2018 e o resto, você, caro leitor, já sabe: conquistas e uma potência econômica a ser invejada.

Brasil Rugby e Barbarians entregam espetáculo em noite vibrante

Na noite fria e fechada do dia 20 de novembro, a Seleção Brasileira de Rugby voltou a trilhar o caminho de jogos marcantes no Estádio do Morumbi. Infelizmente, em termos numéricos, o público foi menor comparado ao jogo contra a equipe da Nova Zelândia ano passado, mas os quase 15 mil pagantes fizeram tanto barulho ou até mais para animar os jogadores do que naquela ocasião. Pelo o que vimos em campo, a tentativa surtiu efeito.

Dez anos sem domingos brasileiros na Fórmula 1

Há exatos dez anos a música tema de vitórias brasileiras na Fórmula 1 não é tocada. A última vez foi em 13 de setembro de 2009, quando Rubens Barrichello subiu ao lugar mais alto do pódio no Grande Prêmio de Monza, na Itália. A 101ª vitória brasileira na Fórmula 1 – e até aqui a última – deu a Rubinho a oportunidade de encostar no líder, Jenson Button, e o credenciou a sonhar com o título mundial daquele ano.